Grupo Dasa

Pediatria

Mês da mulher

Conheça nosso centro de diagnóstico por imagem

Conte com a nossa maternidade

Clinica da Dor

Agendar Consultas

(11) 4993 3773

Agendar Exames

(11) 4993 3767

Pronto atendimento

O serviço de Pronto-Atendimento do HMCG está à disposição 24 horas por dia para atender as urgências em diversas especialidades.

Saiba mais

Maternidade

A Maternidade do Hospital Christóvão da Gama oferece todo conforto e segurança para este momento tão esperado: A CHEGADA DO BEBÊ.

Saiba mais

Localização das unidades

Todos

O Lorem Ipsum é um texto modelo da indústria tipográfica e de impressão. O Lorem Ipsum tem vindo a ser o texto padrão usado por estas indústrias desde o ano de 1500, quando uma misturou os caracteres.

Notícias

A relação entre saúde mental e saúde física

01/08/2019
<br /> <img alt="" src="/FixedFiles/Noticia/site%20christovao%20.jpg" /><br /> <br /> <br /> <p><em>Por Barbara B.S.Rissoni, psic&oacute;loga Hospitalar e Cl&iacute;nica<br /> <br /> </em></p> <p>Quando falamos de sa&uacute;de, geralmente a associa&ccedil;&atilde;o que fazemos &eacute; com o corpo e suas necessidades. &Eacute; de conhecimento geral que o ser humano, para alcan&ccedil;ar um bom n&iacute;vel de sa&uacute;de f&iacute;sica, precisa se comportar de determinada maneira, incluindo em seu cotidiano visitas regulares ao m&eacute;dico, pr&aacute;tica de exerc&iacute;cios f&iacute;sicos e alimenta&ccedil;&atilde;o equilibrada.<br /> <br /> </p> <p>Resumidamente, se as pessoas cumprirem este script, ter&atilde;o sa&uacute;de f&iacute;sica garantida, n&atilde;o &eacute; mesmo?<br /> <br /> </p> <p>Ao trabalhar em hospitais, chama a aten&ccedil;&atilde;o as in&uacute;meras interna&ccedil;&otilde;es que ocorrem sem diagn&oacute;stico, ficando dif&iacute;cil, at&eacute; mesmo imposs&iacute;vel para o m&eacute;dico naquele momento, entender a causa do desconforto do paciente em quest&atilde;o. Nesses casos, a psicologia hospitalar pode ser acionada, pois o m&eacute;dico passa a desconfiar que a queixa do paciente esteja relacionada mais com a sa&uacute;de mental do que com a sa&uacute;de f&iacute;sica.<br /> <br /> </p> <p>Em muitas situa&ccedil;&otilde;es observamos que os sintomas f&iacute;sicos sem diagn&oacute;stico t&ecirc;m rela&ccedil;&atilde;o com quadros de ansiedade (taquicardia, sudorese excessiva, tremores, sensa&ccedil;&atilde;o de desmaio) e depress&atilde;o (dores no corpo, cansa&ccedil;o extremo, ins&ocirc;nia). Pacientes psiqui&aacute;tricos graves (psicoses, transtornos de personalidade) podem manifestar muito desconforto no corpo, e o mesmo pode ocorrer em situa&ccedil;&otilde;es de luto (a perda de um ente querido, do emprego, o t&eacute;rmino do casamento, um aborto). Existem diversos motivos capazes de causar dor emocional, por isso a import&acirc;ncia de uma entrevista detalhada com o paciente, a fim de construir um caminho que possibilite a reflex&atilde;o.<br /> <br /> </p> <p>De modo geral, a dor f&iacute;sica pode se manifestar no corpo como resposta a uma dor emocional n&atilde;o elaborada. Quando n&atilde;o resolvemos algo, de alguma maneira essa situa&ccedil;&atilde;o fica &ldquo;cutucando&rdquo; e a sensa&ccedil;&atilde;o dolorosa acontece. Pacientes que j&aacute; fizeram ou fazem psicoterapia ou mesmo acompanhamento psiqui&aacute;trico costumam aceitar com mais facilidade a hip&oacute;tese de dor emocional do que pacientes que nunca entraram em contato com equipe de sa&uacute;de mental. Eles podem, inclusive, ser resistentes &agrave; interven&ccedil;&atilde;o da psicologia ou psiquiatria. Geralmente, essas pessoas ficam insatisfeitas com a aus&ecirc;ncia de diagn&oacute;stico e esperam do m&eacute;dico que continue pedindo exames at&eacute; encontrar uma causa direta (o que, para elas, seria algo realmente concreto). &Eacute; importante respeitar o posicionamento de cada um e deixar o paciente &agrave; vontade para rejeitar a hip&oacute;tese emocional levantada pela equipe m&eacute;dica.<br /> <br /> </p> <p>Muitas vezes, a sa&uacute;de mental &eacute; negligenciada pelo pr&oacute;prio paciente em nome de medica&ccedil;&otilde;es que trazem al&iacute;vio dos sintomas f&iacute;sicos como ansiol&iacute;ticos e antidepressivos &ndash; uma vez que pensar sobre a vida e suas implica&ccedil;&otilde;es costuma incomodar, at&eacute; mesmo doer.</p> <p>Portanto, tratar somente com medica&ccedil;&otilde;es n&atilde;o resolve a causa do problema e da dor. O tratamento deve ser de forma integral, incluindo a&iacute; o acompanhamento psicol&oacute;gico, caso contr&aacute;rio h&aacute; um grande risco de reincid&ecirc;ncia, com o paciente apresentando o mesmo quadro de dor, inclusive com possibilidade de uma nova interna&ccedil;&atilde;o.<br /> <br /> </p> <p>A psicoterapia &eacute; uma das ferramentas indicadas para a melhora da sa&uacute;de mental do paciente, podendo reduzir epis&oacute;dios de dor. &Agrave; medida que a dor ganha significado, &eacute; poss&iacute;vel verbaliz&aacute;-la, ou seja, traduzi-la em forma de palavras, fazendo com que se dissipa. A verbaliza&ccedil;&atilde;o significa que a dor foi elaborada pelo paciente, e isso pode evitar que ela se torne cr&ocirc;nica.</p> <br /> <br />

Em defesa da amamentação

01/08/2019
<br /> <img alt="" src="/FixedFiles/Noticia/amamentao%20.jpg" /><br /> <br /> <br /> <p><em><span>&nbsp;</span><span style="font-size: 13px;">&ldquo;Capacite os pais e permita a amamenta&ccedil;&atilde;o, hoje e no futuro!&rdquo;<br /> <br /> </span></em></p> <p><span style="font-size: 13px;">Esse &eacute; slogan da Semana Mundial de Amamenta&ccedil;&atilde;o de 2019, que vai de 1&ordm; a 7 de agosto. A frase foi definida pela Alian&ccedil;a Mundial para A&ccedil;&atilde;o em Amamenta&ccedil;&atilde;o (WABA, em ingl&ecirc;s) e tem a finalidade de incentivar que se crie uma &ldquo;rede de prote&ccedil;&atilde;o&rdquo; em favor da lacta&ccedil;&atilde;o, e que isso ocorra de forma inclusiva, considerando os diferentes modelos de fam&iacute;lia.</span></p> <p><span style="font-size: 13px;">Representantes da WABA afirmam que a mulher precisa encontrar apoio nos familiares, no trabalho, na comunidade, ou seja, deve estar em ambientes favor&aacute;veis, que a amparem e a estimulem a amamentar o seu beb&ecirc;.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">A Semana Mundial da Amamenta&ccedil;&atilde;o foi criada em 1992 pela Organiza&ccedil;&atilde;o Mundial da Sa&uacute;de (OMS) e pelo Fundo das Na&ccedil;&otilde;es Unidas para a Inf&acirc;ncia (UNICEF), e desde o in&iacute;cio defende o direito da mulher e do beb&ecirc; ao aleitamento materno seguro. No Brasil desde 1999, a a&ccedil;&atilde;o &eacute; coordenada pelo Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">A amamenta&ccedil;&atilde;o &eacute; t&atilde;o importante que tamb&eacute;m ganhou sua cor e m&ecirc;s. Agosto e dourado simbolizam a lacta&ccedil;&atilde;o e chamam a aten&ccedil;&atilde;o de toda a comunidade para sua relev&acirc;ncia.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">H&aacute; pouco mais de 1 ano, a revista Superinteressante, da Editora Abril, publicou mat&eacute;ria com alguns dos principais pesquisadores sobre leite materno e destacou: &ldquo;Leite materno &eacute; a bebida mais valiosa do mundo&rdquo;. Isso porque, segundo os estudos, o leite materno traz riqueza de nutrientes que nenhum outro alimento possui, como &aacute;gua e gordura, vitaminas, a&ccedil;&uacute;cares, subst&acirc;ncias anti-inflamat&oacute;rias, sais minerais, c&eacute;lulas-tronco, microRNA e componentes ainda n&atilde;o identificados.</span></p> <p><span style="font-size: 13px;">E os especialistas da &aacute;rea da epigen&eacute;tica ainda enfatizam uma caracter&iacute;stica surpreendente do leite materno, que a possibilidade de oferecer uma carga maior de anticorpos em determinada fase, ou seja, &eacute; um alimento personalizado!</span></p> <p><span style="font-size: 13px;">&nbsp;<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 14px;">Amamentar salva vidas<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">As taxas globais de aleitamento materno parecem relativamente boas, mas existem importantes varia&ccedil;&otilde;es entre pa&iacute;ses, regi&otilde;es, culturas e n&iacute;veis de instru&ccedil;&atilde;o, e essas diferen&ccedil;as acabam refletindo nas porcentagens. Segundo estudos de entidades internacionais, somente 40% de todos os beb&ecirc;s com menos de 6 meses s&atilde;o alimentados exclusivamente com leite materno. Na regi&atilde;o das Am&eacute;ricas esse n&uacute;mero cai para 38%, e s&oacute; 32% continuam amamentando at&eacute; os 2 anos de idade.</span></p> <p><span style="font-size: 13px;">O objetivo da Organiza&ccedil;&atilde;o Pan-Americana da Sa&uacute;de/Organiza&ccedil;&atilde;o Mundial da Sa&uacute;de (OPAS/OMS) &eacute;, at&eacute; 2025, elevar para 50% a porcentagem de crian&ccedil;as que recebem somente o leite materno at&eacute; seis meses na Am&eacute;rica Latina e Caribe.</span></p> <p><span style="font-size: 13px;">Ao aumentar os n&uacute;meros da amamenta&ccedil;&atilde;o, seguindo as recomenda&ccedil;&otilde;es, pelo menos 823.000 mortes de crian&ccedil;as poderiam ser evitadas todos os anos. &Eacute; preciso lembrar que o est&ocirc;mago do beb&ecirc; &eacute; muito pequeno, e quando ele recebe, de forma alternada, chazinhos ou algum tipo de papinha, esse pequenino espa&ccedil;o deixa de receber um alimento complet&iacute;ssimo, fundamental para o fortalecimento da sa&uacute;de da crian&ccedil;a nos primeiros meses, reduzindo em at&eacute; 14 vezes o risco de morte por diarreia e em 3,6 vezes o risco de &oacute;bito por infec&ccedil;&otilde;es respirat&oacute;rias.</span></p> <span style="font-size: 13px;"><br /> </span>

Saiba como cuidar da saúde gastrointestinal

25/07/2019
<p><span style="font-size: 13px;"><br /> <img alt="" src="/FixedFiles/Noticia/banner site .jpg" /><br /> <br /> <br /> <br /> O intestino exerce um papel fundamental em nosso corpo. Dividido entre intestino delgado e grosso, &eacute; por ele que os alimentos passam do final do est&ocirc;mago at&eacute; o &acirc;nus, promovendo a absor&ccedil;&atilde;o de nutrientes, &aacute;gua e sais minerais, al&eacute;m da elimina&ccedil;&atilde;o de res&iacute;duos. Anatomicamente, tem a forma de um tubo e pode alcan&ccedil;ar entre 7 a 9 metros de comprimento.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">De acordo com a Organiza&ccedil;&atilde;o Mundial de Sa&uacute;de (OMS), o c&acirc;ncer colorretal ou do intestino grosso &eacute; o terceiro que mais mata pessoas no mundo, ocupando o 2&ordm; lugar entre os tipos de c&acirc;ncer mais frequentes em mulheres e o 3&ordm; em homens.</span></p> <p><span style="font-size: 13px;">M&eacute;dica coordenadora do Centro de Endoscopia do Grupo Leforte, Adriana Costa Genzini refor&ccedil;a que os exames preventivos s&atilde;o a melhor forma de detectar precocemente uma les&atilde;o. &ldquo;A grande maioria dos tipos de c&acirc;ncer de intestino grosso se desenvolve a partir de p&oacute;lipos intestinais do tipo adenomatosos. Estes podem ser facilmente diagnosticados e removidos ainda na fase pr&eacute;-maligna, durante exame uma colonoscopia&rdquo;, explica a m&eacute;dica.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">Alguns fatores conhecidos que levam ao aparecimento de c&acirc;ncer no intestino est&atilde;o relacionados &agrave; obesidade, ao sedentarismo, tabagismo, alimenta&ccedil;&atilde;o rica em gordura animal, e alimentos processados e com conservantes. Adriana explica tamb&eacute;m que o c&acirc;ncer colorretal cresce, na maioria das vezes, sem que a pessoa tenha qualquer sintoma, raz&atilde;o pela qual o diagn&oacute;stico precoce &eacute; a melhor e mais eficiente alternativa de evitar a doen&ccedil;a.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">E quando se fala em preven&ccedil;&atilde;o do c&acirc;ncer colorretal, o Minist&eacute;rio da Sa&uacute;de preconiza que homens e mulheres, independentemente de sinais caracter&iacute;sticos, realizem colonoscopia preventiva a partir dos 50 anos. Para quem tem hist&oacute;rico familiar de c&acirc;ncer de intestino, o protocolo indica come&ccedil;ar 10 anos antes da idade do familiar acometido pela doen&ccedil;a, ou seja, se o parente teve c&acirc;ncer aos 40 anos, a preven&ccedil;&atilde;o deve iniciar aos 30 anos. A regra tamb&eacute;m &eacute; aplicada nos casos de antecedente familiar de les&otilde;es adenomatosas.<br /> <br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 14px;"><strong>Equipamentos e t&eacute;cnicas endosc&oacute;picas de alta performance</strong></span></p> <p><span style="font-size: 13px;">As inova&ccedil;&otilde;es tecnol&oacute;gicas t&ecirc;m sido grandes aliadas para a sa&uacute;de digestiva. O Centro de Endoscopia do Grupo Leforte, por exemplo, conta com os equipamentos de colonoscopia mais sofisticados do mercado. Al&eacute;m da imagem de alt&iacute;ssima resolu&ccedil;&atilde;o, trazem diferenciais como magnifica&ccedil;&atilde;o (imagem aumentada que revela detalhes) e cromoscopia eletr&ocirc;nica (uso de cores que reagem com a hemoglobina do sangue e auxiliam na identifica&ccedil;&atilde;o de &aacute;reas de vasculariza&ccedil;&atilde;o irregular e suspeita).<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">A equipe m&eacute;dica do Centro de Endoscopia dos Hospitais do Grupo Leforte &eacute; formada por especialistas e titulares da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva, com treinamento nas t&eacute;cnicas de caracteriza&ccedil;&atilde;o de les&otilde;es e tamb&eacute;m de ressec&ccedil;&atilde;o das mesmas, seja da forma mais simples, como polipectomias e mucosectomias, at&eacute; as t&eacute;cnicas mais modernas e minimamente invasivas, como dissec&ccedil;&atilde;o endosc&oacute;pica submucosa ou ESD.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">&ldquo;O importante &eacute; garantir a remo&ccedil;&atilde;o completa, com margens livres da les&atilde;o e em monob<br /> loco (em um &uacute;nico peda&ccedil;o), a fim de evitar recidivas ou o crescimento de uma nova les&atilde;o a partir de residuais&rdquo;, diz.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">A tecnologia do aparelho permite identificar e caracterizar a les&atilde;o com grande precis&atilde;o.</span></p> <p><span style="font-size: 13px;">&ldquo;Antes era preciso fazer a bi&oacute;psia, aguardar o resultado, para depois planejar a melhor forma de ressec&ccedil;&atilde;o. Hoje, com estas novas tecnologias e equipes tecnicamente treinadas na caracteriza&ccedil;&atilde;o de les&otilde;es, &eacute; poss&iacute;vel distinguir apenas pela imagem endosc&oacute;pica se a les&atilde;o &eacute; benigna, adenomatosa ou j&aacute; maligna, bem como determinar se a mesma invade de forma maci&ccedil;a ou n&atilde;o as camadas mais profundas da parede do intestino no momento do exame, permitindo tomada de decis&atilde;o e ressec&ccedil;&atilde;o endosc&oacute;pica curativa imediata. Tudo &eacute; realizado de forma indolor&nbsp; e, na maioria dos casos, sem necessidade de interna&ccedil;&atilde;o. Isso representa qualidade de vida e uma recupera&ccedil;&atilde;o mais segura&rdquo;, enfatiza.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">&nbsp;<br /> <span style="font-size: 14px;"><strong>Leforte</strong></span></span></p> <p><span style="font-size: 13px;">O Grupo Leforte, especialmente a unidade Cl&iacute;nica e Diagn&oacute;sticos Leforte Liberdade, que fica pr&oacute;xima do Hospital Liberdade, oferece exames e tratamentos com recursos dos mais sofisticados do mercado, tanto para diagn&oacute;sticos em adultos como em crian&ccedil;as.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">Hoje, temos dispon&iacute;vel equipamentos endosc&oacute;picos de alta performance, com alt&iacute;ssima resolu&ccedil;&atilde;o e com cromoscopia eletr&ocirc;nica e magnifica&ccedil;&atilde;o de imagem acoplados, o que aumenta consideravelmente a acuracidade diagn&oacute;stica. A tecnologia permite a detec&ccedil;&atilde;o e, consequentemente, o tratamento curativo de les&otilde;es diminutas de forma endosc&oacute;pica.<br /> <br /> </span></p> <p><span style="font-size: 13px;">Importante lembrar que a indica&ccedil;&atilde;o para uma vida saud&aacute;vel em qualquer fase &eacute; a ado&ccedil;&atilde;o de bons h&aacute;bitos: pr&aacute;tica de atividades f&iacute;sicas, ingest&atilde;o de no m&iacute;nimo dois litros de &aacute;gua por dia, alimenta&ccedil;&atilde;o rica em fibras (consumo de legumes, verdura e frutas), sono de qualidade, momentos de lazer. E claro, abandonar h&aacute;bitos que prejudicam a sa&uacute;de, como tabagismo, consumo excessivo de bebidas alco&oacute;licas, estresse e m&aacute; alimenta&ccedil;&atilde;o.</span></p> <br /> <br />
Ver todas as notícias